Encontro com todas as coisas impermanentes

experiencia.jpg

Em minha pesquisa artística aprecio mais os processos do que seus resultados. Tal atitude conduziu minha atenção à filosofia japonesa, sobretudo à observação da estética Wabi-sabi, que valoriza a percepção de como nos constituímos diante do mundo, ao invés da mera  auto-expressão. Encontro com todas as coisas impermanentesé um projeto iniciado em 2018 durante uma viagem de imersão na cultura nipônica. Trata-se de um grupo de trabalhos em andamento incluindo performances para vídeo instalações, fotografias e obras multimídia, baseadas em improvisações espontâneas nos locais em que entrei em contato com Wabi-sabi.

Encontro com todas as coisas impermanentes pretende instigar a percepção a partir da incerteza, o olhar contemplativo atento aos acasos, que deixa de lado a busca por conclusões lógicas. Por meio da contemplação os japoneses enxergam a natureza como um modelo a ser seguido e reverenciado: unem-se a ela em vez de quererem conquistá-la. A transitoriedade é aceita e valorizada como um estado natural, pois nada é estável e permanente no mundo. Nosso refúgio está em aceitar e até mesmo celebrar esse fato.